13 de maio de 2019

Meu filho me estrutura

esse não é um post querendo romantizar a paternidade/maternidade, porque cuidar de uma criança é f*** pra c******.

mas apesar de todas as dificuldades (e, bem provável, graças a elas), ser pai foi e é algo edificante pra mim. sem meu filho, acho que dificilmente eu deixaria de ser moleque, de ser filho. aquele filho homem branco classe média que é insuportável de se conviver.

meu filho me estrutura.

toda vez que acho bagunça dele e reclamo acabo olhando pra mim mesmo e me defrontando com minhas bagunças. quando o vejo roendo unha e tiro o dedo dele da boca, poucos minutos depois sou eu que estou roendo as minhas. ou quando brigo por encontrar embalagem de doce jogada e percebo que perco as contas de quantas vezes assaltei a cozinha no meio da noite...

não dá pra educar uma criança sem se educar.

Foto de pai e filho, deitados abraçados.

paternidade ativa é mais do que participar do cotidiano e dar comida e preparar pra escola e estudar junto e botar pra dormir e cuidar da casa e trabalhar e não deixar a peteca cair.

paternidade ativa, que deveria ser apenas paternidade, é antes de olhar pro filho dar uma olhadinha em si mesmo, crítico, construtivo. é, parodiando Gandhi (ou Clarice Lispector), ser a mudança que você quer ver em seu filho.

sem se culpar demais (o que estou aprendendo) e sem pegar leve demais (o que estou aprendendo também).

sempre que sinto estar vivendo um caos e o Migs ainda mais agitado parece aumentar a pressão, é hora de desligar o fogo pra panela não explodir. é quando percebo que estou improvisando demais e que preciso buscar uma organização minha pra depois organizar a rotina dele.

sem meu filho, talvez passasse a vida improvisando tudo já que as consequências seriam bem menores. ele me estrutura quando imita meus maus hábitos. ele me alerta que tá na hora de mudar de rumo e juntos avançamos nossas jornadas.

numa trilha tão imperfeita quanto a vida, a companhia dele dá um novo sentido pra tudo.

desde que voltei a morar em Pedreira, tenho perdido um pouco o foco das coisas. o blog quase não tem novos posts, o canal quase não tem novos vídeos, em casa quase não fazia as tarefas domésticas... bateu uma deprê.

não acho que saí totalmente dela, mas graças ao meu filho luto com mais forças, buscando ajuda e me esforçando pra não ver ele me copiando.

engraçado e lindo: mesmo tendo nascido de um improviso, meu filho é minha base mais sólida.

4 comentários:

  1. E um aprendizado tanto pra vc como pai e pra ele filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, quando a gente se entrega pra essa experiência, ela é transformadora <3

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...