30 de julho de 2014

Férias da criançada e a jornada do pai herói

"Se chorei ou se sorri
O importante
É que emoções eu vivi"

Existe um trecho de música melhor do que esse para representar o fim das férias da criançada? Duvido. Trabalhar com uma criança por perto nas férias é uma proeza pra poucos e tenho certeza que dá pra colocar essa aventura naquele esquema que chamam de Jornada do Herói, sabe? Como tenho lido sobre o assunto, vou tentar encaixar e vocês me dizem se não é assim mesmo:

12 trabalhos é sussa, quero ver o Hércules sobreviver a 12 férias. 

1 – Mundo Comum 
Nossa casa, nosso trabalho. Uma linda tarde, saboreando um café e fazendo suas atividades em paz.

2 – Chamado à aventura
Anoitece e você lembra que no dia seguinte começará as férias do filho.

3 – Recusa ao chamado
O 1º dia nem acaba e você já está ficando louco, com cobrança do chefe, o pedido de atenção da criança. O banho, o almoço, o lanche, a sobremesa, a diversão, o trabalho, o relatório, as tarefas mais básicas. A total mudança da rotina. Meu deus, será que alguém não pode cuidar do nosso filho, a bisa, alguma tia, o papa, por que a escola faz isso com a gente?!

4 – Encontro com o Mentor
Aí a bisa, o papa, a vó, o terapeuta, alguém do tipo diz: relaxa, você já foi criança, é assim mesmo, vai passar esse período e você nem vai perceber, ficará com saudades até.

5 – Travessia do Umbral/ Limiar
Eu sou um pai ou um saco de batatas? Eu vou conseguir, vou acreditar no pessoal da etapa anterior.

6 – Testes, aliados e inimigos.
Entre parquinhos, festas, passeios, às vezes surge um anjo para passar um fim de semana com a criança, ou uma noite no meio da semana, para a gente namorar, relaxar, tomar um banho sossegado, recarregar a bateria ou algo assim. Mas a maior parte do tempo passamos com a criança desafiando seus limites.

7 – Aproximação do objetivo 
O estresse continua, todo mundo te cobra a baixa produtividade, você se sente um saco de batatas (vide passo 5)... Mas o fim das férias já está chegando, falta o quê, só mais 25 dias.

8 – Provação máxima
A criança não te aguenta mais, você pede socorro a qualquer um que apareça. Gente, um minuto de sossego. Você quer ir ao banheiro sem ouvir nenhum barulho de algo caindo ou sendo destruindo, você quer TRABALHAR(!), só isso, MISERICÓRDIA! Aaaaaaahhhhhh

9 – Conquista da recompensa
Chega o dia 31, ufa! O pai sobrevive, e geralmente a criança também. Talvez agora volte o sossego, possamos trabalhar normal e chegar no fim do dia com saudades da criança.

10 – Caminho de volta
Criança foi pra escola. Pai foi pro trabalho.

11 – Depuração
No trabalho e/ou em casa, começa uma nova batalha: pôr tudo razoavelmente em ordem.

12 – Retorno transformado
Nunca mais somos os mesmos depois disso. Evoluído ou traumatizado, mas os mesmos, não...

Ó lá, não é que consegui ligar o dia a dia de férias aos 12 passos da Jornada do Herói?! É ou não é assim?! Talvez nós pais e mães sejamos mais poderosos que imaginamos mesmo.

***

Blogueiro do Família Palmito adverte: nenhuma criança foi ferida moral ou fisicamente durante esse processo. Esse é um post de humor, não é para ser levado a sério. É legal ter filhos e ficar com eles, pessoal (tiozão que pulou na piscina e descobriu que ela estava gelada pra cara*** e não quer ficar sozinho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...